Arquivo da tag: #amazoniabrasileira

DENPASA É A MELHOR DE 2019

denpasa

Nem todo sonho vira realidade mas toda realidade vem de um sonho

Para Ovídio Brito, presidente da DENPASA, “O sonho de quem cultiva palma de óleo é vencer o Amarelecimento Fatal. Para realizar o que parecia impossível investimos três décadas em pesquisa e apresentamos três alternativas”.

 

Para entender a pesquisa

  • Mescla de 10% de Caiaueś nos plantios para atrair o inseto Gracidius hybridus

Nos plantios de híbrido a equipe conduziu experimento em 1ha por um ano, distribuindo inflorescências masculinas do Caiaué em antese em 3 pontos, 3 vezes por semana. Os resultados comprovaram a eficiência do Gracidius hybridus na polinização e a empresa já começou a mescla de 10% de Caiaués em seu plantio comercial. Para garantir inflorescência masculina o número de Caiaués foi dobrado. Em vez de plantar 1, plantaram 2 a cada 4m, e em 6 meses 1.289 cachos já foram colhidos (13.255ton), com abortamento em apenas 31 cachos (2,35%).

 

  • Clonagem de plantas na proporção de 3/4 africano com 1/4 americano

Há 20 anos a Denpasa recebeu do Cirad clones de 3/4, que continuam imunes ao AF. Isso indicou a vitória sobre o AF e a equipe liderada pelo Engenheiro Agrônomo Roberto Yokoyama fez 29 cruzamentos que resultaram em 3.200 novas plantas, reduzidas a 40 plantas consideradas superiores para formar o jardim clonal.

 

  • Desenvolvimento de híbrido que dispensa polinização

A empresa produziu 3 híbridos, a partir do cruzamento de Caiaué com Tenera, que estão com 3 anos e, com muitos frutos, não apresentam androgenia e produzem pólen que atrai o Gracidius.

 

Com essa robusta pesquisa sobre uma anomalia estudada por décadas, a DENPASA foi eleita o destaque no segmento em que atua pelo Jornal Diário do Pará, durante a 5ª edição do Agropará, realizado em Belém dia 4 de dezembro de 2019.

CEPAL/ONU ELEGE TRABALHO DECENTE NA PALMA DE ÓLEO MODELO DE NEGÓCIO SUSTENTÁVEL

84f746be-848f-4a2b-918f-a0bf4f606fa2

O trabalho conduzido pela consultora Katia Garcez  para a Associação Brasileira de Produtores de Óleo de Palma (Abrapalma) foi eleito pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL/ONU) como estudo de caso sobre sustentabilidade e impacto social em comunidades no Brasil.

O  Big Push da Palma de óleo na Amazônia traz importante contribuição da agenda da associação sobre “Trabalho Decente e Geração de Emprego” em uma região do país que convive com mais de 48,9% da população com renda inferior a meio salário mínimo. A partir da Carta Compromisso assinada pela Abrapalma em 2016, o Brasil recebeu um aparato coeso de princípios, ações e medidas para atingir metas robustas sobre trabalho justo e decente, envolvendo o setor produtivo e agricultores fornecedores de matéria prima, a partir da produção sustentável.

 

Confira o estudo aqui: 

 

A AMAZÔNIA INVISÍVEL

Até onde vai a perseverança frente à fatal invisibilidade?

eaf2202f-542d-4bbe-b756-9038d6abb9c8

SOMOS DO TAMANHO DOS NOSSOS SONHOS

O ser humano é sujeito de expectativas, a partir da projeção dos seus sonhos, desejos e vontades. Essa característica, ao lado da consciência, nos diferencia no reino animal. Somos, por excelência, animais que traçam planos e objetivos.

 Para além de viver e morrer, nós desejamos, e isso dá sentido à nossa existência. Somos seres em constante busca por algo melhor, no cristianismo definido como o porvir. O problema não é sonhar, afinal, isso é imanente à condição humana, dotada de livre arbítrio. O problema é nunca poder concretizar sonhos!

Continue lendo

PALMA NO BIODIESEL

DIRETO_PONTO-27

 

O ÓLEO DE PALMA ESTÁ NA AGENDA DE INOVAÇÃO DA CÂMARA SETORIAL DO BIODIESEL

Meta de impacto

  • Chegar a 2028 com o B20 e tornar o Brasil maior produtor mundial de biodiesel.

Submetas

  • Diversificar matéria-prima em 2,7 milhões de toneladas (50% palma de óleo e 50% outras);
  • Melhorar logística de distribuição, aumentar esmagamento doméstico, safra e operação.

Ações estratégicas

  • Tornar o sistema produtivo mais sustentável e competitivo;
  • Ampliar a área plantada de palma de óleo para 350 mil hectares;
  • Ampliar a participação da agricultura familiar e de médios produtores.
  • Desenvolver cultivares híbridas e aprimorar o sistema de produção;
  • Instituir linhas de crédito adequadas às culturas perenes (5 a 8 anos);
  • Avaliar a instalação de usinas de biodiesel nas regiões Norte e Nordeste;
  • Ampliar infraestrutura de produção de sementes e mudas de palma de óleo;
  • Aprovar o PL 7326/10, Programa de Produção Sustentável da Palma de Óleo no Brasil;
  • Desenvolver pesquisas para respaldar registro/extensão de defensivos para a palma de óleo.

Acesse a íntegra do documento aqui: 

.