o BIG PUSH da palma de óleo na Amazônia Brasileira

O BIG PUSH DA PALMA DE ÓLEO NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: TRABALHO DECENTE COMO MODELO DE NEGÓCIO SUSTENTÁVEL

Autoria: Kátia Fernanda Garcez Monteiro

O objetivo do artigo é analisar a produção de óleo de palma no estado do Pará, Brasil, à luz da concepção sobre a agenda positiva do trabalho decente e através do “Big Push para a Sustentabilidade” desenvolvida pela CEPAL. Considerada como o óleo vegetal mais consumido no mundo atualmente, o óleo de Palma, se configura como uma importante fonte de emprego e renda na Amazônia Paraense. Entre as prerrogativas positivas nesta estudo de caso, estão: a) a integração entre uma agroindústria e agricultura familiar; b) criação de linha de financiamento e crédito para a cadeia da palma de óleo; c) criação de um aparato jurídico e técnico científico para a gestão ambiental da atividade produtiva; d) coordenação de espaços de diálogos institucionais favoráveis para a geração de negócios sustentáveis; e) geração de emprego e renda; f) redução da pobreza e promoção do trabalho produtivo e decente; g) alinhamento com a agenda 2030 global da ONU.

Slide1

O estudo de caso faz parte do Repositório de casos sobre o Big Push para a Sustentabilidade no Brasil, desenvolvido pelo Escritório no Brasil da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) das Nações Unidas. Os direitos autorais pertencem à CEPAL, Nações Unidas. A autorização para reproduzir ou traduzir total ou parcialmente esta obra deve ser solicitada à CEPAL, Divisão de Publicações e Serviços Web: publicaciones.cepal@un.org. Os Estados-Membros das Nações Unidas e suas instituições governamentais podem reproduzir esta obra sem autorização prévia. Solicita-se apenas que mencionem a fonte e informem à CEPAL tal reprodução.

 

Acesse o PDF: 

Caracterização da dinâmica térmico-hídrica do solo em sistemas agroflorestais com palma de óleo

interna01-torta-palmiste

Autoria: PANTOJA, C. dos A.ARAUJO, A. C. deVASCONCELOS, S. S.OLIVEIRA, L. R. deCOSTA, A. N. M.

Resumo: A atividade agrícola moderna passou a se caracterizar por sistemas de monocultivo que com o manejo inadequado do solo resulta em consequências negativas, pois, aumenta as perdas de produtividade, degrada o solo e os recursos naturais. Para minimizar esses impactos tem-se investido em sistemas agroflorestais (SAFs). Buscou-se avaliar a dinâmica térmico-hídrica em SAF devido à variação desses no espaço e tempo e a influência que a umidade e temperatura do solo exercem sobre o desenvolvimento e produção do sistema. O experimento foi conduzido em um SAF no município de Tomé-Açu/PA. Os dados foram coletados durante a transição do período chuvoso-menos chuvoso de 2019. Foram utilizados reflectômetros no domínio do tempo para determinação do conteúdo de umidade volumétrica do solo (), e, termistores, para medição da temperatatura do solo (Ts). Os instrumentos foram instalados em perfis verticais no solo, nas seguintes posições: (i) na base da planta de palma de óleo; (ii) na base da planta de cacau; (iii) empilhamento; e, carreador (iv). Os maiores valores de  foram observados nas maiores profundidades, enquanto os maiores gradientes de variação ocorreram nas menores profundidades. Com relação à Ts, a maior amplitude foi observada nas camadas mais próximas da superfície, enquanto nas mais profundas, a temperatura permaneceu mais estável. A maior variação da temperatura próximo a superfície mostra a ineficiência do solo em conduzir calor. Os dados preliminares indicam que em cada perfil amostrado há uma dinâmica diferente, sugerindo influencia do tipo de vegetação, cobertura do solo, radiação solar.

 

Acesse a publicação da Embrapa: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1113461/caracterizacao-da-dinamica-termico-hidrica-do-solo-em-sistemas-agroflorestais-com-palma-de-oleo-elaeis-guineenses-jacq-no-leste-da-amazonia

 

Óleo de palma na alimentação de ovinos

240_F_298280995_j1JvJPgkL0HZpeJ9Q7okmxPkN8qKY9Q7

Resumo: Avaliou-se pela, técnica in situ, o desaparecimento ruminal da matéria seca (MS), matéria orgânica (MO) e proteína bruta (PB) da silagem de capim elefante e do concentrado em ovinos alimentados com inclusões de 0,0; 2,5; 5,0; 7,5; e 10% de óleo bruto de palma na MS total da dieta. Foram utilizadas dez ovelhas adultas, canuladas no rúmen distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado com uma repetição no tempo, totalizando 4 repetições por tratamento As dietas constituíam de silagem de capim elefante e concentrado a base grão de milho moído, farelo de soja e mistura mineral, oferecidas na razão de 1,5% do peso vivo (dieta restrita) mantendo-se relação volumoso:concentrado de 1:1. A adição de óleo de palma reduziu (P<0,05) a degradação dos parâmetros avaliados somente na dieta que conteve 10% de inclusão de óleo. O desaparecimento da PB, no entanto, não foi afetado com as inclusões da fonte lipídica. Houve aumento (P<0,05) no desaparecimento até às 72 horas de incubação. Conclui-se que 10% de óleo de dendê na dieta de ovinos deprime o desaparecimento ruminal da MS e MO, mas não a ponto de inviabilizar sua utilização nesta concentração.

 

Confira a publicação da Embrapa: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1001218/oleo-de-palma-elaeis-guineenses-jacq-na-alimentacao-de-ovinos-desaparecimento-ruminal-da-materia-seca-materia-organica-e-proteina-bruta

 

Primeiro ano de produção de híbridos interespecíficos de palma de óleo em área de ocorrência de amarelecimento fatal

oilpalmtree

 

Autoria: ANDRADE, P. C.SOUSA, A. M. deGOMES JUNIOR, R. A.GURGEL, F. de L.

Resumo: O híbrido interespecífico (HIE) é resultado do cruzamento entre a palma de óleo africana (Elaeis guineensis Jacq.), também conhecida como dendezeiro, e o caiaué de origem Amazônica (Elaeis oleifera (Kunth) Cortés), cuja principal virtude é a resistência ao amarelecimento fatal. Contudo, a produção de cachos de HIE durante o período juvenil não está bem estabelecida. Foram avaliadas 2522 plantas em uma área total de 17,6 ha, com mensurações de número médio de cachos, peso médio de cachos e produção de cachos em todas as colheitas realizadas no terceiro ano de cultivo, com intervalo médio de 20 dias entre colheitas. O número de cachos por hectare foi de 1447,0. O peso médio de cachos foi de 5,0 Kg.cacho-1. A produção de cachos foi de 7.290,7 Kg.ha- 1 , apresentando desempenho similar a cultivares de palma de óleo africana. Todas as características avaliadas apresentaram tendência de aumento no desempenho ao decorrer das colheitas. Estes resultados apontam para a viabilidade do cultivo do HIE em áreas de ocorrência do amarelecimento fatal.

 

Confira a publicação da Embrapa:  https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/899863/primeiro-ano-de-producao-de-hibridos-interespecificos-de-palma-de-oleo-em-area-de-ocorrencia-de-amarelecimento-fatal

Adição de óleo de palma na dieta sobre a lipidemia e a qualidade do sêmen de bubalinos

_611

 

Resumo: O estudo visou investigar o efeito da suplementação dietética com óleo de palma sobre o perfil sérico lipídico e as características seminais de touros bubalinos (Bubalus bubalis), bem como suas correlações. Doze touros foram alocados no Grupo CONT (n=5) ou Grupo ÓLEO (n=7) e receberam alimentação isoproteica composta por silagem de milho e concentrado (milho triturado, farelo de trigo e ureia), com proporção volumoso/concentrado de 50%, durante 130 dias (Períodos 1 e 2). Diferencialmente, óleo de palma foi adicionado ao concentrado (2% MS) do Grupo ÓLEO. Sêmen e sangue foram colhidos quinzenalmente. Houve aumento nas concentrações séricas de colesterol, HDL e lipídios totais nos animais do Grupo ÓLEO, enquanto o período influenciou nas taxas de colesterol, LDL, lipídios totais e VLDL (P<0,05). Houve decréscimo no turbilhonamento e discreta redução na integridade de membranas nos animais do Grupo ÓLEO (P<0,05). Correlações significativas foram encontradas entre triglicerídeos e defeitos menores (r=-0,412; P=0,006), LDL e defeitos totais (r=-0,333; P=0,030), lipídios totais e defeitos menores (r=-0.366; P= 0,017), lipídios totais e defeitos totais (r=-0.309; P= 0,046), e VLDL e viabilidade espermática (r=0,381; P=0,012), apontando efeitos positivos da maior lipidemia na morfologia e na viabilidade espermática. O uso de óleo de palma alterou o perfil lipídico sérico, mas não favoreceu per se os parâmetros seminais relacionados com o potencial de fertilidade dos touros.

 

Confira aqui a publicação da Embrapa: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/986639/adicao-de-oleo-de-palma-na-dieta-sobre-a-lipidemia-e-a-qualidade-do-semen-de-bubalinos-bubalus-bubalis

Palma no Brasil Viabilidade da produção de óleo ou biodiesel?

_OleoBiodiesel

 

Heytor Fabricio Arantes,  Frauches Reis,  Luiz Paulo de Lima e  Ronaldo Perez

O óleo de palma é o óleo vegetal mais produzido no mundo. O governo brasileiro incentivou o cultivo da palma na região Norte – em virtude de sua alta produtividade e do potencial para a inclusão na pauta do biodiesel –, mas em 2015 o óleo de palma foi responsável por apenas 0,1% da produção do biocombustível no País. Este estudo contextualiza os gargalos da cadeia produtiva da palma no Brasil e analisa a viabilidade econômica de um projeto com capacidade de processamento de 51,7 toneladas de cachos de frutos frescos por hora. A cadeia produtiva revela gargalos técnicos, como infraestrutura, mecanização e disponibilidade de sementes, enquanto o investimento elevado com retorno de longo prazo dificulta a participação do agricultor familiar. A produção de biodiesel e de óleo de palma são viáveis, mas a produção de óleo é mais interessante em termos econômicos (TIR de 45,44% contra 25,37%). A produção de biodiesel se torna mais viável com o preço do biodiesel acima de US$ 633,12/m³ ou com o preço do óleo de palma bruto inferior a US$ 560,34/t.

Acesse a publicação da Embrapa aqui: 

SINTOMAS DE DEFICIÊNCIA NUTRICIONAL EM PALMA DE ÓLEO

Sintomas-capa

Este eBook auxilia o trabalho em campo de estudantes e profissionais de Ciências Agrárias e resulta de anos de observações e vivência prática entre os talhões de palma de óleo, com validações na literatura existente.
Com um texto simples e bastante ilustrado, a obra pode ser uma ferramenta de fácil consulta, mesmo em campo. Seu conteúdo foi validado por especialistas em palma de óleo ligados aos setores público e privado. Acreditamos que a cultura da palma de óleo é um celeiro para muitos estudantes e profissionais em inicio de carreira. Boa leitura!

 

Baixe o e-Book: 

Lepidópteros desfolhadores de palma-de-óleo no Estado do Pará

Autoria: OLIVEIRA, T. A. deLEMOS, W. de P.TINOCO, R. S.MARTINS, I. C. F.

Resumo: Lepidópteros Desfolhadores de Palma-de-óleo no Estado do Pará; Introdução; Método de amostragem utilizado para desfolhadores na Agropalma S/A; Opsiphanes invirae Hübner (Nymphalidae): Lagarta-das-folhas; Brassolis sophorae L. (Nymphalidae): Lagarta-das-folhas-do-coqueiro, lagarta-das-folhas ou lagarta-das–palmeiras; Limacodidae (Acharia spp. Hübner, Talima sp. Walker, Euprosterna eleasea Dyar e Euclea sp. Hübner); Acharia spp. Hübner (Limacodidae): Sibine, lagartas-lesmas ou lagartas-tanques; Talima sp. Walker (Limacodidae); Euprosterna eleasa Dyar (Limacodidae); Euclea sp. Hübner (Limacodidae); Automeris liberia Cramer (Saturniidae); Antaeotricha sp. Zeller (Elachistidae); Oiketicus kirbyi Guilding (Psychidae): Bicho-cesto;

Ano de publicação: 2018

Tipo de publicação: Livros

Avaliação do desempenho econômico e do potencial de geração de renda da estrutura produtiva de pequena escala de dendezeiro híbrido interespecífico na mesorregião metropolitana de Belém, Pará

Autoria: SANTOS, J. C. dosHOMMA, A. K. O.SENA, A. L. dos S.MENEZES, A. J. E. A. de

Resumo: O dendezeiro híbrido interespecífico é um material genético alternativo ao dendezeiro africano tipo tenera, para áreas onde ocorre o mal denominado amarelecimento fatal, existindo na mesorregião Metropolitana de Belém um conjunto de pequenos produtores que possuem cerca de 1.100 ha da cultura em fase de produção, mas com baixo nível de emprego de tecnologias e de produtividade. O objetivo deste estudo foi determinar o custo de produção, a rentabilidade e a geração de renda do sistema produtivo e estimar o impacto socioeconômico de uma política de incentivo para o aumento da produtividade. Os resultados demonstraram que o sistema produtivo atualmente tem bom potencial de desempenho econômico e que os impactos socioeconômicos da política de incentivo da proposta foram de considerável volume em termos de geração de empregos e renda, com boa distribuição entre produtores e trabalhadores. A estrutura de custo de produção revelou que a polinização assistida representa um grande desafio para a pesquisa e para os produtores, na melhoria da eficiência econômica da produção

Ano de publicação: 2017

Tipo de publicação: Separatas

Cenário atual do mercado de sementes de palma de óleo no Brasil

Autoria: MONTEIRO, K. F. G.HOMMA, A. K. O.

Resumo: O estudo analisa o mercado de sementes de palma de óleo nos principais centros de produção, como o Sudeste asiático e América Latina,objetivando obter indicadores de impactos negativos e positivos que comprometem a cadeia produtiva da palma de óleo. Foi realizado levantamento de dados junto às principais empresas nacional e internacional exportadoras de sementes e as características das principais cultivares produzidas e comercializadas no mercado internacional de sementes de palma de óleo. Os resultados indicam que países como Indonésia e Malásia, onde a cultura se desenvolve há pelo menos 100 anos, a produção de sementes (híbridos intraespecíficos e híbridos interespecíficos) está direcionada para atender o mercado local. Identificou-se que a Embrapa possui um dos bancos de germoplasmas de dendê e caiaué mais importantes do mundo e o único programa de melhoramento genético do Brasil com cultivares registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A Embrapa possui sete cultivares de dendezeiro tipo tenera e um cultivar de híbrido interespecífico entre o caiaué e o dendezeiro (HIE OxG), resistente ao amarelecimento fatal contudo, o programa de melhoramento da Embrapa demanda aporte de recurso e estrutura para explorar melhor os recursos genéticos disponíveis, pois muitas ações fundamentais de pesquisa estão paradas. Como indicadores positivos verificam-se a expansão do mercado de óleo de palma América Latina, a ampliação da expertise interna e a logística adequada para exportação.

Ano de publicação: 2017

Tipo de publicação: Separatas